2010-CAPA-MINEIRAO

Na segunda quinzena de setembro, chega às lojas o mais novo projeto do Skank, o CD e DVD “Multishow ao Vivo – Skank no Mineirão”, que traz o registro do inesquecível clássico protagonizado pela banda, que se apresentou para mais de 50 mil pessoas, no dia 19 de junho, no estádio do Mineirão, Belo Horizonte. E o Multishow adianta para os fãs, com exclusividade, a apresentação da banda em um especial que vai ao ar no canal dia 12 de setembro, às 22h30. O show também marcou a despedida do Gigante da Pampulha, que foi fechado para reformas para a Copa do Mundo de 2014.

O Skank preparou um álbum duplo, que chega ao mercado com preço promocional. O CD traz ao todo 31 músicas, sendo 21 do roteiro do show, oito canções do BIS, além de duas versões em estúdio: as inéditas “De Repente”, reggae de Samuel Rosa e Nando Reis, e a bonus track “Fotos na Estante” (Samuel Rosa / Rodrigo F. Leão), que não teve registro ao vivo. O rock “Presença”, fruto da parceria Samuel/Nando, registrado no show, também integra o repertório do disco.

Com lançamento simultâneo ao CD, o DVD traz o mesmo conteúdo musical do álbum. Para os Extras, a banda fez uma seleção de clipes dos últimos dois projetos, “Carrossel” (2006) e “Estandarte” (2008), como os mais recentes “Noites de um Verão Qualquer” e “Sutilmente”, além de “Uma Canção é Para Isso”. O DVD traz ainda um mini making of, intitulado “Mineirão, Música e Futebol”. A versão do show em Blu-Ray terá lançamento em novembro desse ano.

Nesse show antológico, Samuel Rosa (voz e guitarra), Henrique Portugal (teclados), Haroldo Ferretti (bateria) e Lelo Zaneti (baixo) fizeram uma grande festa, que também contou com a participação especial da cantora Negra Li, fazendo um dueto com Samuel na música “Ainda Gosto Dela”, parceria do cantor com Nando Reis, que integra o repertório do álbum “Estandarte”.

Para o repertório, também foram escaladas “Vou Deixar” (Samuel Rosa / Chico Amaral), do CD Cosmotron (2003), e “Sutilmente” (Samuel Rosa/ Nando Reis), do disco Estandarte. Também não faltaram alguns dos grandes sucessos do Skank, como “É uma Partida de Futebol” (Samuel Rosa/Nando Reis), “Acima do Sol” (Samuel Rosa/Chico Amaral), “Resposta” (Samuel Rosa/Nando Reis), dentre outros, eleitos pelos fãs numa enquete promovida pela banda em seu site oficial (www.skank.com.br).

A mixagem do CD e as canções inéditas do projeto ficaram a cargo de Michael Fossenkemper, que já assinou a mixagem de “O Samba Poconé” e “Estandarte”, além de discos de artistas como Super Furry Animals, Moby, Madonna, Mary J. Blide, Arrested Developement e Public Enemy. A master do projeto foi feita no estúdio Bernie Grundman (que fez, dentre outros trabalhos, o disco “Off The Wall”, de Michael Jackson), em Los Angeles, por Brian Gardner, que em seu currículo assinou a master de discos de nomes como Credence Clearwater Revival, Jackson 5, Eminem, Outkast, Queens os The Stone Age, 50 Cent, dentre outros. A mixagem do DVD e do Blu-Ray foi feita por Renato Cipriano, no Estúdio Máquina, em Belo Horizonte.

A capa do projeto traz uma imagem do fotógrafo mineiro Paulo Albuquerque, registrada em 5 de setembro de 1965, no dia da inauguração do Mineirão, há exatos 45 anos. A foto faz parte do acervo do colecionador Câncio Oliveira. O projeto gráfico da capa é de Marcus Barão, que assinou praticamente todas as capas dos discos do Skank, exceto “Calango” e “O Samba Poconé”.

A maior parte do set list do show vai integrar o especial de TV, que será exibido, com exclusividade pelo Multishow, no dia 12 de setembro (domingo), às 22h30, pouco antes do lançamento comercial do projeto, uma parceria da banda com a Sony Music e o Multishow. No dia 10 de setembro (sexta-feira), às 22h30, o canal também exibe o programa “Bastidores”, que apresenta uma reportagem especial com o Skank e imagens de making of do show no Mineirão.

O registro das imagens show, dirigido por Oscar Rodrigues Alves, foi todo gravado com equipamento de alta definição e reuniu o que há de melhor em termos de tecnologia. O diretor utilizou ao todo 14 câmeras HD, sendo três microcâmeras e uma grua de 25m. O registro do áudio do projeto foi assinado por Dudu Marote, que produziu três álbuns do Skank: “Calango” (1994), “O Samba Poconé” (1996) e “Estandarte” (2008).

O cenário, assinado por Marcos Sachs, traz uma atmosfera inspirada no marcante estilo arquitetônico do Mineirão. No palco, mais de 300 tubos de led (estruturas tubulares de led), que fizeram a animação de luz. A iluminação ficou a cargo do premiado Césio Lima, que também assinou o projeto de luz do show “Carrossel”.

Registro do inesquecível do show protagonizado pela banda, que se apresentou para mais de 50 mil pessoas, no estádio do Mineirão

Faixas

1. Mil Acasos

Mil Acasos

Samuel Rosa - Chico Amaral

Mil acasos me levam a você
O sábado, o signo, o carnaval
Mil acasos me levam a você
A feira, o feriado nacional

Mil acasos me levam a perder
O senso, o ritmo habitual
Mil acasos me levam a você
No início, no meio ou no final
Me levam a você
De um jeito desigual

Mil acasos apontam a direção
Desvios de rota é tão normal
Mil acasos me levam a você
No mundo concreto ou virtual
Me levam a você
De um jeito desigual

Quem sabe, então, por um acaso
Perdido no tempo ou no espaço
Seus passos queiram se juntar aos meus
Seus braços queiram se juntar aos meus

Mil acasos me levam a você
No início no meio ou no final
Mil acasos me levam por aí
Na espuma do tempo, no temporal
Mil acasos me dizem o que sou
Ateu praticante, ocidental
Me levam a você
De um jeito desigual

Quem sabe, então, por um acaso
Perdido no tempo ou no espaço
Seus passos queiram se juntar aos meus
Seus braços queiram se juntar aos meus

2. É Uma Partida de Futebol

É Uma Partida de Futebol

Samuel Rosa - Nando Reis

Bola na trave não altera o placar
Bola na área sem ninguém pra cabecear
Bola na rede pra fazer o gol
Quem não sonhou em ser um jogador de futebol?

A bandeira no estádio é um estandarte
A flâmula pendurada na parede do quarto
O distintivo na camisa do uniforme
Que coisa linda é uma partida de futebol

Posso morrer pelo meu time
E se ele perder, que dor, imenso crime
Posso chorar, se ele não ganhar
Mas se ele ganha, não adianta
Não há garganta que não pare de berrar

A chuteira veste o pé descalço
O tapete da realeza é verde
Olhando para bola eu vejo o sol
Está rolando agora, é uma partida de futebol

O meio-campo é o lugar dos craques
Que vão levando o time todo pro ataque
O centroavante, o mais importante
Que emocionante, é uma partida de futebol

O meu goleiro é um homem de elástico
Os dois zagueiros tem a chave do cadeado
Os laterais fecham a defesa
Mas que beleza é uma partida de futebol

Bola na trave não altera o placar
Bola na área sem ninguém pra cabecear
Bola na rede pra fazer o gol
Quem não sonhou em ser um jogador de futebol?

O meio-campo é lugar dos craques
Que vão levando o time todo pro ataque
O centroavante, o mais importante,
Que emocionante é uma partida de futebol

3. Esmola

Esmola

Samuel Rosa - Chico Amaral

Uma esmola pelo amor de Deus
Uma esmola, meu, por caridade
Uma esmola pro ceguinho, pro menino
Em toda esquina tem gente só pedindo

Uma esmola pro desempregado
Uma esmolinha pro preto pobre doente
Uma esmola pro que resta do Brasil
Pro mendigo, pro indigente

Ele que pede, eu que dou
Ele só pede, o ano é mil
Novecentos e noventa e tal
Eu tô cansado de dar esmola
Qualquer lugar que eu passo
É isso agora

Uma esmola pelo amor de Deus
Uma esmola, meu, por caridade
Uma esmola pro ceguinho, pro menino
Em toda esquina tem gente só pedindo

Uma esmola pro desempregado
Uma esmolinha pro preto pobre doente
Uma esmola pro que resta do Brasil
Pro mendigo, pro indigente
Eu tô cansado, meu bom
De dá esmola
Essa quota miserável da avareza
Se o país não for pra cada um
Pode estar certo
Não vai ser pra nenhum

Não vai não! (7X)

No hospital, no restaurante
No sinal, no Morumbi
No Mário Filho, no Mineirão

Menino me vê
Começa logo a pedir
Me dá, me dá
Me dá um dinheiro aí
Mas menino me vê
Começa logo a pedir
Me dá, me dá
Me dá um dinheiro aí

Uma esmola pelo amor de Deus
Uma esmola, meu, por caridade
Uma esmola pro ceguinho, pro menino
Em toda esquina tem gente só pedindo

4. Presença

Presença

Samuel Rosa - Nando Reis

No sol que vai dourar
Na noite mais escura a iluminar
No branco da espuma no verde do mar
Ela é feito pluma solta no ar
E vem vindo

Meus dedos vão tocar
Seus lábios vermelhos na minha boca beijar
De olhos fechados só pra inventar
Num sopro um segredo vou revelar

Está em tudo sempre onde vou
Eu não preciso procurar

O seu presente eu sou
Onde está presente eu tô

O meu presente chegou
Se ela está presente eu vou

No seu jeito de olhar
No pensamento livre vou imaginar
No horizonte surgindo nua lunar
No suspiro profundo a te desejar

Está comigo levo onde vou
Não preciso procurar

5. Ainda Gosto Dela

Ainda Gosto Dela

Samuel Rosa - Nando Reis

Hoje acordei sem lembrar
Se vivi ou se sonhei
Você aqui nesse lugar
Que eu ainda não deixei

Vou ficar
Quanto tempo
Vou esperar
E eu não sei o que vou fazer não

Nem precisei revelar
Sua foto não tirei
Como tirei pra dançar
Alguém que avistei

Tempo atrás
Esse tempo está
Lá trás
E eu não tenho mais o que fazer, não
Ainda vejo o luar
Refletido na areia
Aqui na frente desse mar
Sua boca eu beijei

Quis ficar
Só com ela eu
Quis ficar
E agora ela me deixou

Eu ainda gosto dela
Mas ela já não gosta tanto assim
A porta ainda está aberta
Mas da janela já não entra luz

E eu ainda penso nela
Mas ela já não pensa mais em mim
Eu vou deixar a porta aberta
Pra que ela entre e traga a sua luz

6. Jackie Tequila

Jackie Tequila

Samuel Rosa - Chico Amaral

Funk lá no morro da Mangueira
Essa menina tá dizendo sim, eu sei
Noite bamba, tudo à beça
Baião na rampa do Cruzeiro

Essa menina tá dizendo don’t worry
Cause everything is gonna be alright
Everything, every tune
Will be played by night

Reggae lá na rádio do Café
Rapaziada que estiver afim vai lá
Eu vou ficar com Jackie
Se é que Jackie vai pra lá

E se não for, já foi
O bonde do desejo segue rumo
Caixa, bumbo e sexo
Saudade na rampa do mundo

Seu nome é Jackie, Jackie Tequila
Seu nome é Jacqueline Misty Tequila

Jackie foi nascer
Numa cabana em Noa Noa
Sol do Taiti na pele, nowboah
Seu pai cruzou o mar
Duas filhas na canoa
Côco pra beber e leite de leoa

Jackie uma menina
Tão bonita que enjoa
Enjoa de vertigem
Viagem de avião

Hálito de virgem
Dois olhos de amêndoa
Vaca cadela macaca gazela

Linda toda, toda linda ela
Toda beleza
Se reconhece nela

Jackie Tequila
Coca-Cola e água
Égua língua míngua
Minha mágoa, Uô! Uô!

7. Balada do Amor Inabalável

Balada do Amor Inabalável

Samuel Rosa - Fausto Fawcett

Leva essa canção
De amor dançante
Pra você lembrar de mim
Seu coração lembrar de mim

Na confusão do dia-a-dia
No sufoco de uma dúvida
Na dor de qualquer coisa

É só tocar essa balada
De swing inabalável
Que é oásis pro amor
Eu vou dizendo
Na sequência bem clichê
Eu preciso de você

É força antiga do espírito
Virando convivência
De amizade apaixonada
Sonho, sexo, paixão
Vontade gêmea de ficar
E não pensar em nada

Planejando
Pra fazer acontecer
Ou simplesmente
Refinando essa amizade
Eu vou dizendo
Na sequência bem clichê
Eu preciso de você

Mesmo que a gente se separe
Por uns tempos ou quando
Você quiser lembrar de mim
Toque a balada
Do amor inabalável
Swing de amor nesse planeta

Mesmo que a gente se separe
Por uns tempos ou quando
Você quiser lembrar de mim
Toque a balada
Seja antes ou depois
Eterna Love Song de nós dois

Leva essa canção
De amor dançante
Pra você lembrar de mim
Seu coração lembrar de mim

Na confusão do dia-a-dia
No sufoco de uma dúvida
Na dor de qualquer coisa

8. Acima do Sol

Acima do Sol

Samuel Rosa - Chico Amaral

Assim ela já vai
Achar o cara que lhe queira
Como você não quis fazer
Sim, eu sei que ela só vai
Achar alguém pra vida inteira
Como você não quis

Tão fácil perceber
Que a sorte escolheu você
E você cego, nem nota
Quando tudo ainda é nada
Quando o dia é madrugada
Você gastou sua cota

Eu não posso te ajudar
Esse caminho não há outro
Que por você faça
Eu queria insistir
Mas o caminho só existe
Quando você passa

Quando muito ainda é pouco
Você quer infantil e louco
Um sol acima do sol
Mas quando sempre
É sempre nunca
Quando ao lado ainda
É muito mais longe
Que qualquer lugar

Um dia ela já vai
Achar o cara que lhe queira
Como você não quis fazer
Sim, eu sei que ela só vai
Achar alguém pra vida inteira
Como você não quis

Se a sorte lhe sorriu
Porque não sorrir de volta
Você nunca olha a sua volta
Não quero estar sendo mau
Moralista ou banal
Aqui está o que me afligia

Um dia ela já vai
Achar o cara que lhe queira
Como você não quis fazer
Sim, eu sei que ela só vai
Achar alguém pra vida inteira
Como você não quis

9. De Repente

De Repente

Samuel Rosa - Nando Reis

Olhei, não via ela há muito tempo
Há quanto tempo faz? Nem me lembro mais
Então, pensei na vida que há algum tempo eu deixei pra trás
Não me deixa em paz, se não

Por quê?
Ainda aquele tempo dentro
Entra e sai
Volta, vem e vai, sem acabar

O tempo passou
O tempo passou
E agora eu sei
O que eu passei cantei

Contei, estrelas mil no firmamento
Vão brilhar, depois apagar irão
Chorei as lágrimas correndo como nos cristais
Fogo dos vitrais pagãos

Não é solidão
Amar e desejar a vida que não deu as mãos
Mas vai dentro da gente
Como explosão no ar, como um furacão no mar
De repente você voltou assim

Eu preciso mais, eu preciso
Eu preciso mais, eu preciso

10. Três Lados

Três Lados

Samuel Rosa - Chico Amaral

Escutei alguém abrir os portões
Encontrei no coração multidões
Meu desejo e meu destino brigaram como irmãos
E a manhã semeará outros grãos

Você estava longe, então
Por que voltou
Seus olhos de verão
Que não vão entender?

E quanto a mim, te quero, sim
Vem dizer que você não sabe
E quanto a mim, não é o fim
Nem há razão pra que um dia acabe

Cada um terá razões ou arpões
Dediquei-me às suas contradições, fissões, confusões
Meu desejo, seu bom senso, raivosos feito cães
E a manhã nos proverá outros pães

Os deuses vendem quando dão
Melhor saber
Seus olhos de verão
Que não vão nem lembrar

E quanto a mim, te quero, sim
Vem dizer que você não sabe
E quanto a mim, não é o fim
Nem há razão pra que um dia acabe

Somos dois contra a parede e tudo tem três lados
E a noite arremessará outros dados
Os deuses vendem quando dão
Melhor saber
Seus olhos de verão
Que não vão nem lembrar

E quanto a mim, te quero, sim
Vem dizer que você não sabe
E quanto a mim, não é o fim
Nem há razão pra que um dia acabe

11. Vou Deixar

Vou Deixar

Samuel Rosa - Chico Amaral

Vou deixar a vida me levar
Pra onde ela quiser
Estou no meu lugar
Você já sabe onde é

Não conte o tempo por nós dois
Pois a qualquer hora
Posso estar de volta
Depois que a noite terminar

Vou deixar a vida me levar
Pra onde ela quiser
Seguir a direção
De uma estrela qualquer

Não quero hora pra voltar
Não!
Conheço bem a solidão
Me solta!
E deixa a sorte me buscar

Eu já estou na sua estrada
Sozinho não enxergo nada
Mas vou ficar aqui
Até que o dia amanheça
Vou esquecer de mim
E você se puder
Não me esqueça

Vou deixar o coração bater
Na madrugada sem fim
Deixar o sol te ver
Ajoelhada por mim
Sim!

Não tenho hora pra voltar
Não!
Eu agradeço tanto a sua escolta
Mas deixa a noite terminar

Eu já estou na sua estrada
Sozinho não enxergo nada
Mas vou ficar aqui
Até que o dia amanheça
Vou esquecer de mim
E você se puder
Não me esqueça

Não, não, não quero hora
Pra voltar, não
Conheço bem a solidão
Me solta!
E deixa a sorte me buscar

Não, não, não tenho hora
Pra voltar, não
Eu agradeço tanto a sua escolta
Mas deixa a noite terminar

12. Garota Nacional

Garota Nacional

Samuel Rosa - Chico Amaral

Aqui nesse mundinho fechado ela é incrível
Com seu vestido preto indefectível
Eu detesto o jeito dela, mas pensando bem
Ela fecha com meus sonhos como ninguém

Conhece-te a ti mesmo e eu me conheço
Sou um qualquer vulgar, bem, às vezes esqueço
E finjo que não finjo ao ignorar
Que ela me domina no primeiro olhar

Porque ela derrama um banquete, um palacete
Um anjo de vestido, uma libido do cacete
Ela é tão vistosa que talvez seja mentira
Quem dera minha cara fosse de sucupira

Conhece-te a ti mesmo e eu me conheço
Sou um qualquer vulgar, bem, às vezes esqueço
E finjo que não finjo ao ignorar
Que ela me domina no primeiro olhar

Eu quero te provar
Cozida a vapor
Eu quero te provar
Sem medo e sem amor

13. Sutilmente

Sutilmente

Samuel Rosa - Nando Reis

E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace
Quando eu estiver louco
Subitamente se afaste
Quando eu estiver fogo
Suavemente se encaixe

E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace
E quando eu estiver louco
Subitamente se afaste
E quando eu estiver bobo
Sutilmente disfarce
Mas quando eu estiver morto
Suplico que não me mate, não
Dentro de ti, dentro de ti

Mesmo que o mundo acabe, enfim
Dentro de tudo que cabe em ti
Mesmo que o mundo acabe, enfim
Dentro de tudo que cabe em ti

E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace
E quando eu estiver louco
Subitamente se afaste
E quando eu estiver bobo
Sutilmente disfarce
Mas quando eu estiver morto
Suplico que não me mate, não
Dentro de ti, dentro de ti

Mesmo que o mundo acabe, enfim
Dentro de tudo que cabe em ti
Mesmo que o mundo acabe, enfim
Dentro de tudo que cabe em ti

14. Resposta

Resposta

Samuel Rosa - Nando Reis

Bem mais que o tempo
Que nós perdemos
Ficou pra trás
Também o que nos juntou

Ainda lembro
Que eu estava lendo
Só pra saber
O que você achou
Dos versos que eu fiz
E ainda espero
Resposta

Desfaz o vento
O que há por dentro
Desse lugar
Que ninguém mais pisou

Você está vendo
O que está acontecendo
Nesse caderno
Sei que ainda estão

Os versos seus
Tão meus que peço
Nos versos meus
Tão seus que esperem
Que os aceite

Em paz eu digo que eu sou
O antigo do que vai adiante
Sem mais eu fico onde estou
Prefiro continuar distante

Bem mais que o tempo
Que nós perdemos
Ficou pra trás
Também o que nos juntou

Ainda lembro
Que eu estava lendo
Só pra saber
O que você achou

Dos versos seus
Tão meus que peço
Dos versos meus
Tão seus que esperem
Que os aceite

Em paz eu digo que eu sou
O antigo do que vai adiante
Sem mais eu fico onde estou
Prefiro continuar distante (2x)

Desfaz o vento
O que há por dentro
Desse lugar
Que ninguém mais pisou

Você está vendo
O que está acontecendo
Nesse caderno
Sei que ainda estão

Os versos seus
Tão meus que peço
Nos versos meus
Tão seus que esperem
Que os aceite

Em paz eu digo que eu sou
O antigo do que vai adiante
Sem mais eu fico onde estou
Prefiro continuar distante (2x)

15. Vamos Fugir

Vamos Fugir

Gilberto Gil - Liminha

Vamos fugir
Deste lugar, baby
Vamos fugir
Tô cansado de esperar
Que você me carregue

Vamos fugir
Pr’outro lugar, baby
Vamos fugir
Pr’onde quer que você vá
Que você me carregue

Pois diga que irá
Irajá, Irajá
Pra onde eu só veja você
Você veja a mim só
Marajó, Marajó
Qualquer outro lugar comum
Outro lugar qualquer
Guaporé, Guaporé
Qualquer outro lugar ao sol
Outro lugar ao sul
Céu azul, céu azul
Onde haja só meu corpo nu
Junto ao seu corpo

Vamos fugir
Pr’outro lugar, baby
Vamos fugir
Pr’onde haja um tobogã
Onde a gente escorregue

Vamos fugir
Deste lugar, baby
Vamos fugir
Tô cansado de esperar
Que você me carregue

Pois diga que irá
Irajá, Irajá
Pra onde eu só veja você
Você veja a mim só
Marajó, Marajó
Qualquer outro lugar comum
Outro lugar qualquer
Guaporé, Guaporé
Qualquer outro lugar ao sol
Outro lugar ao sul
Céu azul, céu azul
Onde haja só meu corpo nu
Junto ao teu corpo nu

Vamos fugir
Pr’outro lugar, baby
Vamos fugir
Pr’onde haja um tobogã
Onde a gente escorregue

Tô cansado de esperar
Que você me carregue
Todo dia de manhã
Flores que a gente regue
Uma banda de maçã
Outra banda de reggae

Todo dia de manhã
Flores que a gente regue
Uma banda de maçã
Outra banda de reggae

16. Tão Seu

Tão Seu

Samuel Rosa - Chico Amaral

Eu sinto sua falta
Não posso esperar tanto tempo assim
O nosso amor é novo
É o velho amor ainda e sempre

Não diga que não vem me ver
De noite eu quero descansar
Ir ao cinema com você
Um filme à toa no Pathé

Que culpa a gente tem de ser feliz?
Que culpa a gente tem, meu bem?
O mundo bem diante do nariz
Feliz agora e não além

Me sinto só, me sinto só
Eu me sinto tão seu
Me sinto tão, me sinto só
E sou teu

Eu faço tanta coisa
Pensando no momento de te ver
A minha casa sem você é triste
A espera arde sem me aquecer
Não diga que você não volta
Eu não vou conseguir dormir
À noite eu quero descansar
Sair à toa por aí

Me sinto só, me sinto só
Eu me sinto tão seu
Me sinto tão, me sinto só
E sou te

Eu sinto sua falta
Não posso esperar tanto tempo assim
O nosso amor é novo
É o velho amor ainda e sempre

Que culpa a gente tem de ser feliz?
Eu digo eles ou nós dois
O mundo bem diante do nariz
Feliz agora e não depois

Me sinto só, me sinto só
Eu me sinto tão seu
Me sinto tão, me sinto só
E sou teu

17. Fotos na Estante

Fotos na Estante

Samuel Rosa - Rodrigo F. Leão

Sem mais, nem menos
Sem remédio, sem desculpa
Em horas tortas
Horas tímidas, ocultas

Pelas esquinas de olhares indiscretos
O nosso amor, amor claro de objeto

Sem dor ou crime
Amor simples e direto
Entre os pássaros de barro descansando na estante

Pelas costas amarelas dessas fotos insinceras
Descobri lindas mentiras, tão terríveis quanto belas

Digo o que fazer então
São memórias tão reais
Do que nunca aconteceu

Desenhei miragens tolas
Nas margens do seu deserto
E uma verdade impossível
Só pra ter você por perto

Pelas esquinas de olhares indiscretos
O nosso amor, quebrou feito objeto

18. Uma Canção é Pra Isso

Uma Canção é Pra Isso

Samuel Rosa - Chico Amaral

Uma canção é pra acender o Sol
No coração da pessoa
Pra fazer brilhar como um farol
O som depois que ressoa

Uma canção é pra trazer calor
Deixar a vida mais quente
Pra puxar o fio da paixão
No labirinto da gente

Pra consertar
Pra defender a cidadela
Pra celebrar
Pra reunir bairro e favela

Uma canção me veio sem querer
Naquela hora difícil
Joguei-a logo nesse iê iê iê
Por profissão ou por vício

Pra clarear a escuridão
E o mundo encerra
Pra balançar
Pra reunir o céu e a terra

Uma canção é pra fazer o Sol
Nascer de novo
Pra cantar o que nos encantou
Na companhia do povo

Pra consertar
Pra defender a cidadela
Pra celebrar
Pra reunir bairro e favela

Uma canção é pra acender o Sol
No coração da pessoa
Pra fazer brilhar como um farol
O som depois que ressoa

Pra clarear a escuridão
E o mundo encerra
Pra balançar
Pra reunir o céu e a terra

19. Um Mais Um

Um Mais Um

Samuel Rosa - Rodrigo F. Leão

Éramos nós
Éramos nós
Um mais um
Éramos mais
Que só dois

Éramos um
Feito de dois
Mais que nós dois
Nunca então sós

Eu era eu
Quando era nela
Ela em mim
Como ela era

Éramos um
Feito de dois
Mais que nós
Nunca então sós

Soma sem subtração
Múltiplos sem divisão
Dois que se amavam então
Éramos multidão

E na matemática torta
Da vida aqui sem ela
Dois menos um é zero
Eu não sou nada do que eu era

20. Pacato Cidadão

Pacato Cidadão

Samuel Rosa - Chico Amaral

Oh pacato cidadão,
Eu te chamei a atenção
Não foi à toa, não
C’est fini la utopia
Mas a guerra todo dia
Dia a dia, não

E tracei a vida inteira
Planos tão incríveis
Tramo a luz do sol
Apoiado em poesia
E em tecnologia
Agora à luz do sol

Pacato Cidadão!
É o Pacato da Civilização (2x)

Oh pacato cidadão,
Eu te chamei a atenção…

Pra que tanta TV
Tanto tempo pra perder
Qualquer coisa que se queira
Saber querer

Tudo bem, dissipação
De vez em quando é “bão”
Misturar o brasileiro com alemão

Pacato Cidadão!
É o Pacato da Civilização

Oh pacato cidadão,
Eu te chamei a atenção…

Pra que tanta sujeira nas ruas e nos rios
Qualquer coisa que se suje
Tem que limpar

Se você não gosta dele
Diga logo a verdade
Sem perder a cabeça
Sem perder a amizade

Pacato Cidadão!
É o Pacato da Civilização (2x)

Oh pacato cidadão,
Eu te chamei a atenção…

Consertar o rádio e o casamento é
Corre a felicidade no asfalto cinzento

Se abolir a escravidão
Do caboclo brasileiro
Numa mão educação, na outra dinheiro

Pacato Cidadão! É o Pacato da Civilização (4x)

Someone’s knockin’ at the door
Somebody’s ringin’ the bell
Someone’s knockin’ at the door
Somebody’s ringin’ the bell
Do me a favor, open the door
And let ‘em in, and let ‘em in

Pacato Cidadão!
É o Pacato da Civilização

21. Canção Noturna

Canção Noturna

Lelo Zanetti - Chico Amaral

Misterioso luar de fronteira
Derramando no espinhaço quase um mar
Clareando a aduana
Venezuela, donde estás?

Não sei por que nessas esquinas vejo o seu olhar
Minha camisa estampada com o rosto de Elvis
A minha guitarra é minha razão
Minha sorte anunciada
Misteriosamente a lua sobre nada

Não sei por que nessas esquinas vejo o seu olhar
Não sei por que nessas esquinas vejo o seu olhar
Espalhe por aí boatos de que eu ficarei aqui
Espalhe por aí boatos de que eu ficarei aqui

Vem, mamacita, doida e meiga
Sempre o âmago dos fatos
Minha guerra e as flores do cactos
Poema, cinema, trincheira

Não sei por que nessas lagunas vejo o seu olhar

Um cego na fronteira, filósofo da zona
Me disse que era um dervixe
Eu disse pra ele, camarada
Acredito em tanta coisa que não vale nada

[Refrão 1x]

Não sei por que nessas escunas vejo o seu olhar
Não sei por que nessas escunas vejo o seu olhar

Velejando, viajando, sol quarando
Meu querer, meu dever, meu devir
E eu aqui a comer poeira
Que o sol deixará

Não sei por que nessas esquinas vejo seu olhar
Não sei por que nessas esquinas vejo seu olhar

22. É Proibido Fumar

É Proibido Fumar

Roberto Carlos - Erasmo Carlos

É proibido fumar
Diz o aviso que eu li
É proibido fumar
Pois o fogo pode pegar

Mas nem adianta o aviso olhar
Pois a brasa que agora eu vou mandar
Nem bombeiro pode apagar
Nem bombeiro pode apagar

Eu pego uma garota
E canto uma canção
Nela dou um beijo
Com empolgação
Do beijo sai faísca
E a turma toda grita
Que o fogo pode pegar

Nem bombeiro pode apagar
O beijo que eu dei nela assim
Nem bombeiro pode apagar
Garota pegou fogo em mim
Sigo incendiando bem contente e feliz
Nunca respeitando o aviso que diz

Que é proibido fumar
Que é proibido fumar

É proibido fumar
Diz o aviso que eu li
É proibido fumar
Pois o fogo pode pegar

23. Amores Imperfeitos

Amores Imperfeitos

Samuel Rosa - Chico Amaral

Não precisa me lembrar
Não vou fugir de nada
Sinto muito se não fui feito um sonho seu

Mas sempre fica alguma coisa
Alguma roupa pra buscar
Eu posso afastar a mesa
Quando você precisar

Sei que amores imperfeitos
São as flores da estação

Eu não quero ver você
Passar a noite em claro
Sinto muito se não fui seu mais raro amor

E quando o dia terminar
E quando o sol se inclinar
Eu posso por uma toalha
E te servir o jantar

Sei que amores imperfeitos
São as flores da estação

Mentira se eu disser
Que não penso mais em você
E quantas páginas o amor já mereceu
Os filósofos não dizem nada
Que eu não possa dizer

Quantos versos sobre nós eu já guardei
Deixa a luz daquela sala acesa
E me peça pra voltar

Não precisa me lembrar
Não vou fugir de nada
Sinto muito se não fui feito um sonho seu

Sei que amores imperfeitos
São as flores da estação

Mentira se eu disser
Que não penso mais em você
E quantas páginas o amor já mereceu
Os filósofos não dizem nada
Que eu não possa dizer

Quantos versos sobre nós eu já guardei
Deixa a luz daquela sala acesa
E me peça pra voltar

24. Noites de Um Verão Qualquer

Noites de Um Verão Qualquer

Samuel Rosa - César Maurício

Noites de um verão qualquer
Eu me sufoco nesse ar
O corpo venta em preto
O chão devora o espaço ocular

Noites de um verão qualquer
Deixa que ela entenda o traço
Que invente a fuga por nós dois
Que sou seus pés, eu sou também seus braços

Noites de um verão qualquer
Dentro da febre desse abraço
Satélite voltou do céu
Eu sou o resto, sou também o aço

Noites de um verão qualquer
Sob sua pele encontrei abrigo
Pra gente se devorar
Na órbita do seu umbigo

Seguem infinitos metros
Pra perto desse abraço
Eu tento respirar
Desdar o nó que aperta esse laço

Noites de um verão qualquer
Deixa que ela entenda o traço
Que invente a fuga por nós dois
Que sou seus pés, eu sou também seus braços

25. O Beijo e a Reza

O Beijo e a Reza

Samuel Rosa - Chico Amaral

Iça, iça vela do barco
Mar do Atlântico Sul
Marinheiro João do Arco
Anjo do céu azul
Iça iça âncora vela três milhas do atol
Sol na nuca e o corpo dela ofusca a luz do sol

Quem avista a ilha do amor
No mar só se dá bem
Um peixe que eu pesquei me fisgou
Fui seu peixe também
Me dá um beijo, que o beijo é uma reza pro marujo que se preza

Oa Oa balanço do mar
Oa oa amor vida boa
Oa oa vento dá na vela
Oa ao me leva pra ela

Roupa lavada no varal
Cega minha visão
Moça do batalhão Naval
Pega na minha mão
Me dá um beijo, que o beijo é uma reza pro marujo que se preza

Oa oa balanço do mar
Oa oa amor vida boa
Oa oa vento da vela
Oa oa me leva pra ela

Tempestade vai e vem
Vai firme no leme marinheiro
Ela me quer e eu já não choro mais
Vou correr o mundo inteiro
Me dá um beijo, que o beijo é uma reza pro marujo que se preza

Oa oa balanço do mar
Oa oa amor vida boa
Oa oa vento da vela
Oa oa me leva pra ela

26. Te Ver

Te Ver

Samuel Rosa - Lelo Zanetti - Chico Amaral

Te ver e não te querer
É improvável, é impossível
Te ter e ter que esquecer
É insuportável, é dor incrível

É como mergulhar no rio
E não se molhar
É como não morrer de frio
No gelo polar

É ter o estômago vazio e não almoçar
É ver o céu se abrir no estio
E não se animar

Te ver e não te querer
É improvável, é impossível
Te ter e ter que esquecer
É insuportável, é dor incrível

É como esperar o prato
E não salivar
Sentir apertar o sapato
E não descalçar
É ver alguém feliz de fato
Sem alguém pra amar
É como procurar no mato
Estrela do mar

Te ver e não te querer
É improvável, é impossível
Te ter e ter que esquecer
É insuportável, é dor incrível

É como não sentir calor em Cuiabá
Ou como no Arpoador não ver o mar
É como não morrer de raiva
Com a política
Ignorar que a tarde vai vadiar e mítica

É como ver televisão
E não dormir
Ver um bichano pelo chão
E não sorrir

E como não provar o néctar
de um lindo amor
Depois que o coração detecta
A mais fina flor

Te ver e não te querer
É improvável, é impossível
Te ter e ter que esquecer
É insuportável, é dor incrível

27. Ali

Ali

Samuel Rosa - Nando Reis

Ela entrou e eu estava ali
Ou será que fui eu que ali entrei
Sem sequer pedir a menor licença?

Ela de batom caqui
Com os olhos olhava o quê? Eu não sei
Olhos de águas vindas de outros oceanos

Ela me olhou – Quem?
Quem sabe com ela
Eu teria as tardes que sempre me passaram
Como miragens, como invenção!

Se eu não posso ter
Fico imaginando

Virá com ela que entrega
Virá, sim, assim virá que eu vi
Virá ou ela me espera
Virá, pois ela está ali

Ela amou o que estava ali
Ou será que foi dela o que eu já amei
Como os laços fixos de uma residência?

Ela: Alô!? E eu não reagi
Com os olhos olhava o que eu lembrei
Quando andava indo em outra direção

Ela me olhou – Vem!
Quem sabe com ela
Eu veria as tardes
Que sempre me faltaram
Como miragens, como ilusão!

Se eu não posso ver
Fico imaginando

Virá com ela que entrega
Virá, sim, assim virá que eu vi
Virá ou ela me espera
Virá, pois ela está ali

Ela andou e eu fiquei ali
Ou será que fui eu que dali mudei
Com uns passos mudos de uma reticência?

Ela me olhou bem
Quem sabe com ela
Eu teria achado o que sempre me faltava
Cores, colagens, sons, emoção!

Se eu não posso ser
Fico imaginando
Eu fico imaginando

Virá com ela que entrega
Virá, sim, assim virá que eu vi
Virá ou ela me espera
Virá, pois ela está ali

28. Dois Rios

Dois Rios

Samuel Rosa - Nando Reis - Lô Borges

O céu está no chão
O céu não cai do alto
É o claro, é a escuridão

O céu que toca o chão
E o céu que vai no alto
Dois lados deram as mãos

Como eu fiz também
Só pra poder conhecer
O que a voz da vida vem dizer

Que os braços sentem
E os olhos veem
Que os lábios sejam
Dois rios inteiros
Sem direção

O sol é o pé e a mão
O sol é a mãe e o pai
Dissolve a escuridão

O sol se põe se vai
E após se pôr
O sol renasce no Japão

Eu vi também
Só pra poder entender
Na voz a vida ouvi dizer

Que os braços sentem
E os olhos veem
E os lábios beijam
Dois rios inteiros
Sem direção

E o meu lugar é esse
Ao lado seu, meu corpo inteiro
Dou o meu lugar pois o seu lugar
É o meu amor primeiro
O dia e a noite as quatro estações

Que os braços sentem
E os olhos veem
E os lábios sejam
Dois rios inteiros
Sem direção

O céu está no chão
O céu não cai do alto
É o claro, é a escuridão

O céu que toca o chão
E o céu que vai no alto
Dois lados deram as mãos

Como eu fiz também
Só pra poder conhecer
Tudo que a voz da vida vem dizer

Que os braços sentem
E os olhos veem
E os lábios beijam
Dois rios inteiros
Sem direção

E o meu lugar é esse
Ao lado seu, no corpo inteiro
Dou o meu lugar pois o seu lugar
É o meu amor primeiro
O dia e a noite as quatro estações

Que os braços sentem
E os olhos veem
Que os lábios sejam
Dois rios inteiros
Sem direção

29. Tanto (I Want You)

Tanto (I Want You)

Bob Dylan - Versão: Chico Amaral

Coveiros gemem tristes ais
E realejos ancestrais juram que
Eu não devia mais querer você
Os sinos e os clarins rachados
Zombando tão desafinados
Querem, eu sei, mas é pecado
Eu te perder

É tanto, é tanto
Se ao menos você soubesse
Te quero tanto

Políticos embriagados
Dançando em guetos arruinados
E os profetas desacordados
A te ouvir
Eu sei que eles vem tomar meu
Drinque em meu copo a trincar
E me pedir pra te deixar partir

É tanto, é tanto
Se ao menos você soubesse
Te quero tanto

Todos meus pais querem me dar
Amor que há tempos não está lá
E suas filhas vão me deixar
Por isso não me preocupar

Eu voltei pra minha sina
Contei pra uma menina
Meu medo só termina estando ali

Ela é suave assim
E sabe quase tudo de mim
Ela sabe onde eu
Queria estar enfim

É tanto, é tanto
Se ao menos você soubesse
Te quero tanto

Mas seu dândi vai
De paletó chinês
Falou comigo mais de uma vez
Não, eu sei, não fui muito cortês
Com ele, não

Isso, porque ele mentiu, porque
Te ganhou e partiu
Porque o tempo consentiu
Ou se não porque

É tanto, é tanto
Se ao menos você soubesse
Te quero tanto
É tanto
Se ao menos você soubesse
Te quero tanto

30. Saideira

Saideira

Samuel Rosa - Rodrigo F. Leão

Tem um lugar diferente
Lá depois da saideira
Quem é de beijo, beija
Quem é de luta, capoeira

Tem um lugar diferente
Lá depois da saideira
Tem homem que vira macaco
E mulher que vira freira

Oh! Comandante, capitão
Tio, brother, camarada
Chefia, amigão
Desce mais uma rodada
Desce mais

Tem um lugar diferente
Lá depois da saideira
Tem bandeira que recolhe
Tem bandeira que asteia

Tem um lugar diferente
Lá depois da saideira
É tomando uma gelada
Que se cura a bebedeira

Oh! Comandante, capitão
Tio, brother, camarada
Chefia, amigão
Desce mais uma rodada

Tem um lugar diferente
Lá depois da saideira
Quem é de beijo, beija
Quem é de luta, capoeira

Tem um lugar diferente
Lá depois da saideira
Tem homem que vira macaco
E mulher que vira freira

Oh! Comandante, capitão
Tio, brother, camarada
Chefia, amigão
Desce mais uma rodada
Desce mais

31. De Repente

De Repente

Samuel Rosa - Nando Reis

Olhei, não via ela há muito tempo
Há quanto tempo faz? Nem me lembro mais
Então, pensei na vida que há algum tempo eu deixei pra trás
Não me deixa em paz, se não

Por quê?
Ainda aquele tempo dentro
Entra e sai
Volta, vem e vai, sem acabar

O tempo passou
O tempo passou
E agora eu sei
O que eu passei cantei

Contei, estrelas mil no firmamento
Vão brilhar, depois apagar irão
Chorei as lágrimas correndo como nos cristais
Fogo dos vitrais pagãos

Não é solidão
Amar e desejar a vida que não deu as mãos
Mas vai dentro da gente
Como explosão no ar, como um furacão no mar
De repente você voltou assim

Eu preciso mais, eu preciso
Eu preciso mais, eu preciso

Encontre este álbum em