1996-CAPA-OSAMBAPOCONE

Inspirado nos filmes da Atlântida com Zé Trindade, Renata Fronzi e Grande Otelo e nos pequenos circos que percorrem o país, o nome O Samba Poconé foi criado para batizar o disco do Skank de maior vendagem no Brasil e o primeiro, na carreira do grupo, a receber um cuidadoso lançamento no exterior.

Único disco gravado em São Paulo, no estúdio Mosh, foi produzido por Skank e Dudu Marote. “É uma Partida de Futebol” inaugurou a parceria de Samuel Rosa com Nando Reis, dos Titãs, e “Zé Trindade”, “Los Pretos” e “Sem Terra” receberam a participação de Manu Chao do grupo francês Mano Negra. A capa criada por Gringo Cardia reuniu pinturas do espanhol José Robles, responsável pelos painéis das fachadas dos cinemas de São Paulo.

O Samba Poconé foi lançado em julho de 1996 e vendeu 1.800.000 cópias

Faixas

1. É Uma Partida de Futebol

É Uma Partida de Futebol

Samuel Rosa - Nando Reis

Bola na trave não altera o placar
Bola na área sem ninguém pra cabecear
Bola na rede pra fazer o gol
Quem não sonhou em ser um jogador de futebol?

A bandeira no estádio é um estandarte
A flâmula pendurada na parede do quarto
O distintivo na camisa do uniforme
Que coisa linda é uma partida de futebol

Posso morrer pelo meu time
E se ele perder, que dor, imenso crime
Posso chorar, se ele não ganhar
Mas se ele ganha, não adianta
Não há garganta que não pare de berrar

A chuteira veste o pé descalço
O tapete da realeza é verde
Olhando para bola eu vejo o sol
Está rolando agora, é uma partida de futebol

O meio-campo é o lugar dos craques
Que vão levando o time todo pro ataque
O centroavante, o mais importante
Que emocionante, é uma partida de futebol

O meu goleiro é um homem de elástico
Os dois zagueiros tem a chave do cadeado
Os laterais fecham a defesa
Mas que beleza é uma partida de futebol

Bola na trave não altera o placar
Bola na área sem ninguém pra cabecear
Bola na rede pra fazer o gol
Quem não sonhou em ser um jogador de futebol?

O meio-campo é lugar dos craques
Que vão levando o time todo pro ataque
O centroavante, o mais importante,
Que emocionante é uma partida de futebol

2. Eu Disse a Ela

Eu Disse a Ela

Samuel Rosa - Chico Amaral

Quando eu disse a ela
Que o amor passou
A cidade levemente
Flutuou

Ondas amarelas
Na Contorno cheia
A cidade simplesmente
Me odeia

Mesmo sabendo que a vida nos engana
Mesmo sabendo que a Opala não é plana
Mesmo sabendo que a dor cartesiana
Mesmo sabendo que só música baiana

Eu disse a ela
Que o amor morreu
A cidade sutilmente
Estremeceu

Bestas e janelas
Êxtase no breu
A cidade nos meus dentes
Tu e eu
Tu e eu

3. Zé Trindade

Zé Trindade

Samuel Rosa - Chico Amaral

Zé Trindade chegou
Na cidade voltou
Senhoras e senhores com vocês
O grande Zé outra vez (2x)

Quem é aquele cara, aquele tipo, aquele ali
Cabelo preto, bigodinho e a barriga aqui
Quem é aquele que belisca aquela tentação
Papo furado, piscadinha e ela dando atenção

Ele é um crápula inocente e um amante otimista
Atiça a fúria dos homens e some sem deixar pista
Sua mulher vai à forra, ele se borra e se mija
Também o Zé sempre tá com mão e pé na botija

Deus do céu, well, well
É o Zé, o nosso prezado Zé

[Refrão 1x]

Conversando com Cantinflas num canto do salão
Zé curtia um charuto e prestava atenção
Mas passou uma doutora diplomada em exagero
Parecendo a pimenta certa pro seu tempero
Ele é um crápula inocente e um amante otimista
Atiça a fúria dos homens e some sem deixar pista
Sua mulher vai à forra, ele se borra e se mija
Também o Zé sempre tá com mão e pé na botija

Quem chegou, don’t you know
Mister Joe
O nosso prezado Zé

[Refrão 1x]

Conversando com Cantinflas num canto do salão
Zé curtia um charuto e prestava atenção
Mas passou uma doutora diplomada em exagero
Parecendo a pimenta certa pro seu tempero

Quem é aquele cara, aquele tipo, aquele ali
Cabelo preto, bigodinho e a barriga aqui
Quem é aquele que belisca aquela tentação
Papo furado, piscadinha e ela dando atenção

Zé piscou, disse adiós
Deu no pé
Pro galho dessa mulher

[Refrão 1x]

4. Garota Nacional

Garota Nacional

Samuel Rosa - Chico Amaral

Aqui nesse mundinho fechado ela é incrível
Com seu vestido preto indefectível
Eu detesto o jeito dela, mas pensando bem
Ela fecha com meus sonhos como ninguém

Conhece-te a ti mesmo e eu me conheço
Sou um qualquer vulgar, bem, às vezes esqueço
E finjo que não finjo ao ignorar
Que ela me domina no primeiro olhar

Porque ela derrama um banquete, um palacete
Um anjo de vestido, uma libido do cacete
Ela é tão vistosa que talvez seja mentira
Quem dera minha cara fosse de sucupira

Conhece-te a ti mesmo e eu me conheço
Sou um qualquer vulgar, bem, às vezes esqueço
E finjo que não finjo ao ignorar
Que ela me domina no primeiro olhar

Eu quero te provar
Cozida a vapor
Eu quero te provar
Sem medo e sem amor

5. Tão Seu

Tão Seu

Samuel Rosa - Chico Amaral

Eu sinto sua falta
Não posso esperar tanto tempo assim
O nosso amor é novo
É o velho amor ainda e sempre

Não diga que não vem me ver
De noite eu quero descansar
Ir ao cinema com você
Um filme à toa no Pathé

Que culpa a gente tem de ser feliz?
Que culpa a gente tem, meu bem?
O mundo bem diante do nariz
Feliz agora e não além

Me sinto só, me sinto só
Eu me sinto tão seu
Me sinto tão, me sinto só
E sou teu

Eu faço tanta coisa
Pensando no momento de te ver
A minha casa sem você é triste
A espera arde sem me aquecer
Não diga que você não volta
Eu não vou conseguir dormir
À noite eu quero descansar
Sair à toa por aí

Me sinto só, me sinto só
Eu me sinto tão seu
Me sinto tão, me sinto só
E sou te

Eu sinto sua falta
Não posso esperar tanto tempo assim
O nosso amor é novo
É o velho amor ainda e sempre

Que culpa a gente tem de ser feliz?
Eu digo eles ou nós dois
O mundo bem diante do nariz
Feliz agora e não depois

Me sinto só, me sinto só
Eu me sinto tão seu
Me sinto tão, me sinto só
E sou teu

6. Sem Terra

Sem Terra

Samuel Rosa - Chico Amaral

Tenente Gama estará na barra do Brooklin atento
Zé da Navalha na boca do rio Urutu
Quatro patrulhas vão cobrindo os quatrorizonte
Nego DJ Adílio leva o rádio

Eles pitimbam, negarfam, então hão de ter
Bate o bongô, drum machine, bate o xequerê
Batecumã nego véi de guerra
Colono branco e a lua estratagema

Aurilibilim bajé pajé pai chamou
No cabo do teletrônico mensageou

Na terra dos sem-terra
A barra vai pesar
Quem ignora erra
Quem quer ignorar

Sofrer o baque todos eles já sofreram
No Paraná, no Pará, no Espírito Santo
Bate imigrante nego véi de guerra
Quebratabaque o atraso, o quebranto

Na terra dos sem-terra
A barra já pesou
Quem ignora erra
Quem ignora errou

7. Os Exilados

Os Exilados

Samuel Rosa - Chico Amaral

Meu coração tá batendo de amor e cansaço
Saudade do abraço, do morno regaço onde eu deixei
Um pedaço de mim, um pedaço de mim

Meu coração parecendo um lobo rubro aço
Ficou mudo no abraço, é de veludo o laço com que eu atei
Um pedaço de você, um pedaço de você

Com você eu vou mais longe
Que os cristos, que as crenças
Que o bonde de valença
Com você eu vou mais longe ê

Meu coração é o seu
Seu coração é o meu
Meu coração é o seu
Seu coração é o meu

Meu coração tá batendo de amor e cansaço
Saudade do abraço, do morno regaço onde eu deixei
Um pedaço de mim, um pedaço de mim

Com você eu vou mais longe
Que a ilha de mallorca
Onde a porca torce o rabo
E o diabo nos esconde

Meu coração é o seu
Seu coração é o meu
Meu coração é o seu
Seu coração é o meu

Meu coração parecendo um troço, um erro crasso
Tipo “lost in the space”, não entende o estilhaço
Que é só, eu sei
Um balaço de amor, um balaço de amor

Com você eu vou mais longe
Que os cristos, que as crenças
Que o bonde de valença
Com você eu vou mais longe

Meu coração é o seu
Seu coração é o meu
Meu coração é o seu
Seu coração é o meu

8. Um Dia Qualquer

Um Dia Qualquer

Chico Amaral

Na espuma das ondas
As meninas se lançam
As cadeiras redondas
Onde as ondas se amansam

Todo dia é na praia
todo minuto é pra um
Todo dia é do tempo
O tempo todo, tempo algum

Eu passei lá na vila
Ele é de Vila Isabel
Meu nego meu jongo
Hoje eu chego na barra do céu

Você me entenda
Dança de Oxum é assim
Se joga no mundo
Cai nas ondas e volta pra mim

Hoje é final de século
Hoje é um dia qualquer
Você vai ao cinema
Ou toma um foguete, ou toma um café

Hoje bobagem, drama
hoje é um dia comum
Você deita na cama
Com os pés no século vinte e um

Então corre pra ver
Então fica pra ver
Então corre pra ver
Beleza do mundo descer

Toda rua começa
Onde acaba meu mal
De conversa em conversa
Eu já passei da capital

Era um filme domingo
Penas do paraíso
Eu só guardo o que me ensinou
Que tocar é preciso

Eu passei lá na vila
Ele é de Vila Isabel
Meu nego meu jongo
Hoje eu chego na barra do céu

Você me entenda
Dança de Oxum é assim
Se joga no mundo
Cai nas ondas e volta pra mim

Hoje é final de século
Hoje é um dia qualquer
Você vai ao cinema
Ou toma um foguete, ou toma um café

Hoje bobagem, drama
hoje é um dia comum
Você deita na cama
Com os pés no século vinte e um

Então corre pra ver
Então fica pra ver
Então corre pra ver
Beleza do mundo descer

9. Los Pretos

Los Pretos

Samuel Rosa - Chico Amaral

Los pretos que tienen casas
Los pretos que no las tienen
Los pretos que tienen cosas
Los pretos que no las tienen

Los pretos deben ser hermosos
Ahora mismo debem serlo
Añadir su gran elegancia
A la fiesta del occidente
¿Quiénes son los pretos?

los pretos que quieren cosas
Los pretos que no las tienen
Me siento como uno de ellos
Yo que quiero se álguien

A las puertas del novo siglo
Miro a uno detrás del cigarillo
Su porte esguio y correcto
Como un hijo de dioses originales

¿Quiénes son los pretos?

Toda esperanza a los pretos
Toda esperanza a nosotros
Los pretos de Manhattan, los pretos de los guetos
Los pretos de ojos en los astros

10. Sul da América

Sul da América

Samuel Rosa - Chico Amaral

Sol nasceu
Ninguém que eu saiba morreu
Ninguém me viu lá embaixo
Só no riacho

Sul da América
Um ponto luminoso
Entre milhões um ponto lá
Chamado amor

Aurora joga o anzol sobre nós
Vamos cantar o amor do sol
O sol que volta no varal
Do horizonte extenso, nacional

Pedimos o fim da guerra civil
Pedimos e podemos isso
Pedimos um café pra tocar
Pedimos fé no Brasil

É tanta cidade que eu já passei
É tanto nome que não lembrei
É mágoa antiga que eu não rezei
Pra não voltar nessa hora boreal

Há muito tempo que eu tô na estrada
Já vi planícies ensolaradas
Já vi baias, rios, planaltos
E todo amor é salto vertical

Um dia isso vai ter que passar
Um dia eu volto pro meu lugar
Há sempre alguém a nos esperar
Um dia eu volto pra lá

Dormindo no chão do aeroporto
Como se eu fora um poeta morto
Aero acesa a minha esperança
Que hoje me alcança, diagonal

11. Poconé

Poconé

Chico Amaral

Todo mundo sabe que o meu fraco é mulher
Uma coisa linda dessa faz de mim o que bem quer
Minha boneca, boneca de Poconé

No forró de lengo lengo no forró bodó
O dengo dessa menina é um perigoso só
No forró do lengo lengo no forró mundun
O dengo dessa menina ainda mata um

Todo mundo sabe que o meu fraco é mulher
Uma coisa linda dessa faz de mim o que bem quer
Minha boneca, boneca de Poconé
Pra ganhar um beijo seu, eu vou até a pé

Ela mora longe (eu vou até a pé)
Ela mora na ponte (eu vou até a pé)
Ela gosta do coco (como é que é)
Ela mora no poco (no Poconé)

Todo mundo acha que eu vivo como um rei
Mas a minha solidão ainda não curei
Minha boneca, boneca do Poconé
Pra ganhar um beijo seu, eu vou até a pé

Encontre este álbum em