bg-historico

O Skank nasceu em 1991, em Belo Horizonte, capital das Minas Gerais, que deu orgulho ao Brasil de ter alçado ao mundo nomes como Milton Nascimento, Sepultura e tantos outros. Samuel Rosa (guitarra e voz), Henrique Portugal (teclados), Lelo Zaneti (baixo) e Haroldo Ferretti (bateria) reuniram-se em torno do mesmo interesse: transportar o clima do dancehall jamaicano para a tradição pop brasileira. O primeiro álbum , “Skank”, foi lançado de forma independente, em 1993, mas rapidamente o sucesso da banda na cena underground despertou o interesse da poderosa Sony Music. Junto ao Skank, a multinacional inaugurou no Brasil o selo Chaos.

Lançado em 1994, o segundo disco do Skank foi o trampolim para o estrelato: foram vendidas mais de 1 milhão de cópias de “Calango” e músicas como “Jackie Tequila” e “Te Ver” tornaram-se verdadeiros hits, cantados por todo o país. O álbum abriu as portas para uma nova geração de bandas brasileiras atenta às novidades do rock mundial e, ao mesmo tempo, curiosa com as raízes da tradição local.

O disco seguinte foi ainda mais longe (tanto em sua missão de fusão, quanto em seu sucesso comercial): “O Samba Poconé” levou o grupo a se apresentar na França, Estados Unidos, Chile, Argentina, Suíça, Portugal, Espanha, Itália e Alemanha, em shows próprios ou em festivais ao lado de bandas como Echo & The Bunnymen, Black Sabbath e Rage Against The Machine. O single “Garota Nacional” foi um sucesso monstruoso no Brasil e liderou a parada espanhola (em sua versão original, em português) por inacreditáveis três meses. Essa canção foi o único exemplar da música brasileira a integrar a caixa “Soundtrack for a Century”, lançada para comemorar os 100 anos da Sony Music. Os discos da banda ganharam edições norte-americanas, italianas, japonesas, francesas e em diversos países ao redor do mundo.

Enquanto “O Samba Poconé” chegava a quase 2 milhões de cópias vendidas no Brasil, o Skank foi convidado a representar seu país em “Allez! Ola! Olé!”, disco oficial da Copa do Mundo de Futebol de 1998. Inquietos artisticamente, o quarteto não se acomodou com o êxito. Sua música passou a equalizar as origens eletrônicas com novas influências psicodélicas e acústicas, reveladas nos álbuns “Siderado” (mais introspectivo e maduro) e “Maquinarama” (mais colorido e lisérgico).

O sucesso não arrefeceu: vieram mais hits radiofônicos, como “Resposta”, “Saideira” e “Balada do Amor Inabalável” – esta com ecos de Sergio Mendes em clima cyberpunk. É a mesma versatilidade que permite ao grupo gravar ao lado de Andreas Kisser (Sepultura), Manu Chao, Uakti ou Jorge Ben Jor e arrancar elogios de Stewart Copeland por sua versão de “Wrapped Around Your Finger”, incluída no tributo latino ao Police, “Outlandos D’America”. Essa polivalência de quem não revela amarras senão com o pop perfeito e com a energia para levantar a multidão levou a banda a registrar seus sucessos no CD e DVD “Ao Vivo Ouro Preto” (2001), que vendeu mais de meio milhão de cópias e rendeu a primeira posição nas paradas de sucesso para “Acima do Sol”.

O início de 2003 foi investido na meticulosa preparação de “Cosmotron”, álbum que chegou às lojas em agosto daquele ano, merecendo rasgados elogios da imprensa: “sinais de evolução em Belo Horizonte”; “concentração sem sisudez nem passadismo”; “canções pop processadas em cuidadosos laboratórios”; “ratificando o Skank como o mais criativo grupo pop dos anos 90″. Enquanto o primeiro single, a balada psicodélica “Dois Rios”, ganhava as rádios do Brasil (e o prêmio de melhor videoclipe pop no Video Music Brasil 2003), o grupo se lançava em mais um giro internacional, com passagens por Portugal, Inglaterra e Bélgica, além de uma histórica apresentação no palco principal do festival de Roskilde, na Dinamarca, ao lado de grupos como Blur e Cardigans. A turnê do álbum (com cenário de Gringo Cardia a partir de telas de Beatriz Milhazes e confiantes oito novas canções no repertório) estreou em agosto de 2004 em três noites de lotação esgotada no Canecão, Rio de Janeiro. Com o novo hit, “Vou Deixar” (melhor videoclipe pop no Vídeo Music Brasil 2004), o Skank vive uma até então inédita experiência: através dos novos formatos de comercialização, é o ringtone com o maior número de downloads no país. O álbum atinge a marca de 210 mil cópias vendidas.

Em novembro 2004, chegou o momento de sua primeira coletânea de sucessos, “Radiola”, com repertório focado nos discos “Maquinarama” e “Cosmotron”, lançada em novembro do mesmo ano. Além de oito hits remasterizados em Nova York, o álbum trouxe quatro novidades para o público: as inéditas “Um Mais Um” e “Onde Estão?” e ainda duas versões também inéditas, “Vamos Fugir”, de Gilberto Gil e Liminha (gravada para a campanha de verão das sandálias Rider) e “I Want You”, de Bob Dylan (gravada no final de 1999 para um tributo ao cantor norte-americano que nunca chegou a ser lançado). Revestindo a capa de “Radiola”, está o trabalho dos irmãos Rob e Christian Clayton, artistas plásticos americanos, colaboradores das revistas Rolling Stone e Zoetrope (de Francis Ford Coppola) e diretores de arte do clipe “All Around The World”, do Oasis. As imagens do material gráfico da primeira compilação do Skank, “Happy All The Day” e “Long Journey”, fazem parte de “Six Foot Eleven”, exposição dos Clayton Brothers em parceria coma galeria La Luz de Jesus (Los Angeles). “Radiola” vendeu mais de 210 mil cópias.

Intitulado “Carrossel”, o nono álbum do Skank foi gravado no estúdio Máquina, da banda, em Belo Horizonte. Na ocasião, os fãs puderam assistir, ao vivo, a uma parte do processo de criação e produção do álbum. A banda instalou uma câmera exclusiva, que transmitia imagens em tempo real. O disco chegou às lojas pelas mãos da SonyBMG, em agosto de 2006. Produzido por Chico Neves e Carlos Eduardo Miranda e mixado em Nova York, no estúdio Sterling Sound, o disco trouxe 15 faixas inéditas, de Samuel Rosa com Nando Reis, Chico Amaral, César Maurício, Rodrigo F. Leão, Humberto Effe e Arnaldo Antunes, este último inaugurando a parceria com o vocalista do Skank.

O primeiro single, “Uma Canção É Para Isso” (Samuel Rosa / Chico Amaral), foi disponibilizado para audição no site banda quinze dias antes do lançamento oficial do álbum. A capa do CD saiu com projeto gráfico de Marcus Barão, que usou pinturas surrealistas de Glenn Barr, artista plástico de Detroit. Barão foi responsável pela arte de outros discos do Skank, como “Skank Ao Vivo MTV”, “Maquinarama”, “Siderado” e “Skank” (disco de estreia da banda).

Na época do lançamento de “Carrossel”, o Skank também disponibilizou todo o conteúdo do álbum em um aparelho de telefone celular. Com esta ação pioneira, o Skank tornou-se a primeira banda brasileira a embarcar nessa onda. O modelo W300 da Sony Ericsson, que vinha com todas as músicas do álbum de 2006, vendeu mais de 75 mil unidades e rendeu para a banda o primeiro Celular de Ouro do Brasil, certificação reconhecida pela ABPD (Associação Brasileira dos Produtores de Discos).

Dois anos depois do lançamento de “Carrossel”, em outubro de 2008, o Skank reaparece com “Estandarte”, uma obra-prima que, além de ter boas músicas, veio à luz acompanhada de forte campanha viral. Enquanto o primeiro single do disco, “Ainda Gosto Dela” – com participação de Negra Li – ganhava as rádios do Brasil, a banda promovia mais uma ação pioneira, o “Vote no Bis”, deixando o público de seus shows escolher as canções que queria ouvir no Bis, através do envio de SMS. Em março de 2009, o Skank anunciou o segundo single do álbum, “Sutilmente”, canção eleita pelos fãs através de votação que a banda promoveu em seu site oficial.

Foi por acumular em seu currículo ações como essas que o Skank ganhou, em agosto de 2009, o troféu “Iniciativa de Mercado” na 16ª edição do Prêmio Multishow. Na mesma noite, a banda também levou o prêmio de Melhor Clipe por “Ainda Gosto Dela”. No Vídeo Music Brasil (VMB) 2009, o Skank ganhou o prêmio de Melhor Clipe, com a música “Sutilmente” (Samuel Rosa/Nando Reis). Ainda no mesmo ano, o álbum “Estandarte” foi indicado ao Grammy Latino 2009, na categoria “Melhor Álbum Pop Contemporâneo Brasileiro”.

bg-imprensa

No dia 19 de junho de 2010, o Skank gravou, no Estádio do Mineirão, na Pampulha, em Belo Horizonte, o CD, DVD e Blu Ray, “Multishow ao Vivo – Skank no Mineirão”, projeto da banda em parceria com a Sony Music e o canal Multishow. O show, que teve seus ingressos esgotados dias antes, recebeu mais de 50 mil pessoas, que lotaram o Mineirão no último evento realizado no estádio, antes de seu fechamento para a Copa do Mundo de 2014. Para a surpresa dos fãs, o show também contou com a participação especial da cantora Negra Li, fazendo um dueto com Samuel Rosa na música “Ainda gosto dela”. O projeto tem previsão de lançamento em outubro de 2010.

Com mais de 5,5 milhões de discos vendidos, o Skank vive atualmente o privilégio de ter e o desafio de manter a fidelidade de seu público, que lhe apoia mesmo em seus voos mais arriscados.

Festivais internacionais

Delta Tejo Lisboa (Portugal, 2009)

Delta Tejo é um festival de música em Lisboa, em Portugal, dedicado à música dos países produtores de café. Resultado de uma parceria entre o Grupo Nabeiro Delta Cafés e “Música no Coração”, a primeira edição aconteceu em 2007 e lá para cá, o evento tomou proporções bem maiores.

O festival de música realizou-se nos últimos cinco anos de forma consecutiva, mas agora a organização decidiu alterar a sua periodicidade para cada dois anos.

Ao longo da sua história, o festival recebeu nomes de peso de âmbito nacional e internacional. Em 2009, o Skank foi um dos convidados para participar do evento.

Rock in Rio Lisboa (Portugal, 2008)

O Rock in Rio é um festival de música original do Brasil idealizado pelo empresário Roberto Medina. A primeira edição aconteceu em 1985, no Rio de Janeiro, de onde então surgiu o nome. O sucesso foi tão grande que o festival tomou repercussão mundial e, em 2004, teve a sua primeira edição fora do país, em Lisboa, Portugal. Quatro anos mais tarde, foi a vez de Madrid, na Espanha, receber o evento. Desde então, foram 12 edições, quatro no Brasil, cinco em Portugal e três na Espanha.

O Rock in Rio é hoje mundialmente conhecido e sua história se mistura com a do rock no Brasil e no Mundo. Em 2008, o Skank se apresentou na versão portuguesa e completou o time de artistas brasileiros do festival.

Festival Sudoeste (Portugal, 2005)

O Festival Sudoeste é um festival de verão que acontece todo ano no primeiro fim de semana de Agosto na Herdade da Casa Branca na Zambujeira do Mar em Portugal.

Na edição de 2005, a empresa de telecomunicações TMN, patrocinadora do evento, aproveitou a oportunidade para sensibilizar os participantes a respeito da preservação do meio ambiente e espalhou pelo local “ecopontos” onde os resíduos podiam ser separados para reciclagem.

Além disso, através de promoções, jogos e atividades, os “festivaleiros” que mais contribuíram para um ambiente melhor no festival foram premiados. Eles tiveram a oportunidade de plantar um pinheiro na zona sul da herdade e batizá-lo para que, nas próximas edições do evento, o seu desenvolvimento possa ser acompanhado de perto.

Neste ano, o Skank se apresentou no palco principal no mesmo dia que Kasabian, Oasis, Da Weasel e K-OS e tocou músicas consagradas como “É Uma Partida de Futebol” e os vários temas de novelas que foram transmitidas por lá.

Roskilde Festival (Dinamarca, 2003)

O Festival de Roskilde é o segundo maior festival de música do norte da Europa. Foi criado em 1971 pelos estudantes Morgens Sandfær, Jesper Switzer Møller e o promotor Carl Fischer. O festival é organizado pela Roskilde Festival Charity Society (Sociedade Caridosa do Festival Roskilde), uma organização sem fins lucrativos que tem como objetivo o desenvolvimento da música, da cultura e do humanismo. Os lucros do festival são doados todo ano a diferentes causas humanitárias e culturais.

Roskilde, cidade sede do festival e antiga capital da Dinamarca, recebe anualmente, durante quatro dias, atrações de todos os cantos do mundo. Os principais estilos musicais representados são Heavy Metal, Hip Hop, música eletrônica e Rock, mas um dos objetivos do festival é promover artistas novos e alternativos, os quais tem uma tenda exclusiva.

Em 2003, o Skank participou do festival, no palco principal, ao lado de Bjork, Blur e Queens Of The Stone Age. Neste ano, os lucros do evento foram doados para o projeto “Hello, Peace!”.

A organização é fundada por famílias em luto de ambos os lados do conflito na Palestina. O objetivo em comum é acabar com o conflito através da comunicação entre Israelitas e Palestinos. O “Hello, Peace!” Foi simbolizado no evento pela maior coluna de luz da Europa que tinha um diâmetro de oito metros e iluminava o céu a oito quilômetros de distância.

Sfinks Festival (Bélgica, 2003)

O Sfinks Festival acontece todo ano durante quatro dias no final de julho no município de Boechout na Bélgica. É um festival de música mundial para jovens, famílias e amantes de música.

O primeiro dia de festa é um grande acontecimento para os moradores e voluntários do evento. Por causa de suas variadas opções musicais, o Sfinks é considerado um dos mais importantes festivais da Bélgica. Todo ano, cerca de 40.000pessoas visitam o local.

Em 2003 o Skank tocou no dia 25 de Julho.

Summerstage (Estados Unidos, 2002)

A City Parks Foundation é uma fundação que trabalha em mais de 700 parques na cidade de Nova Iorque oferecendo programas gratuitos a pessoas de todas as idades.

O Central Park Summerstage é organizado por essa fundação, apresentando performances com impressionantes qualidades artísticas para servir as diversas comunidades de Nova Iorque. As apresentações são em um local ao ar livre acessível a pessoas de todas as idades e histórias.

O festival luta para desenvolver a apreciação dos espectadores por artistas contemporâneos, tradicionais e estreantes. O evento acontece todos os anos de junho a setembro.

A edição de 2002 do Summerstage apresentou músicas de vários cantos do mundo. O Skank participou ao lado De Sonic Youth, Cornershop e Jack johnson. Na sua apresentação no festival reuniu milhares de pessoas no Central Park para promover o CD “Ao Vivo em Ouro Preto”.

Montreux Jazz Festival (Suíça, 2001)

Criado em 1967 por Claude Nobs, o Montreux Jazz Festival (FestivalInternacional de Jazz de Montreux) se tornou um evento imperdível para fãs de música através dos anos, estejam eles na Suíça, país do evento, ou no exterior. O festival se distingue por sua programação ambiciosa. Todos os grandes nomes já se apresentaram nos vários palcos do festival. De Miles Davis a Ray Charles, passando por David Bowie e Massive Atack.

O jazz pode ter constituído as raízes históricas do festival, mas outros estilos musicais rapidamente acharam o seu lugar em Montreux dividindo um interesse em comum pela curiosidade musical.

Desde 1978, a música brasileira tem espaço garantido no festival. O organizador já declarou que seu objetivo com a inclusão de artistas brasileiros na festa é uma tentativa de recriar o astral do nosso carnaval na Suíça. Na 35ª edição do evento em 2001, o Skank participou ao lado de Beck, PJ Harvey e George Clinton.

Buenos Aires Vivo (Argentina, 1999)

A terceira edição do Festival Buenos Aires Vivo no bairro de Puerto Madero deu início ao ciclo de festivais de verão gratuitos ao ar livre naquele ano de 1999.

No ritmo do reggae, a festa para mais de 50.000 pessoas, em sua maioria jovens, contou com a participação de bandas como Los Pericos, Los Cafres e Skank.

Organizado pela Secretaria de Cultura desde 1997, o evento foi um sucesso e é considerado um dos grandes festivais de música popular.

Saint Gallen (Suíça, 1998)

O OpenAir St. Gallen é um dos maiores e mais antigos festivais ao ar livre da Suíça. É o único entre os festivais do país que, desde sua fundação em 1977, acontece sem interrupções, todos os anos no primeiro final de semana de julho.

Atualmente, o festival é em Sitterobel, região perto da cidade de St. Gallen. O primeiro OpenAir foi em uma montanha chamada Ätschberg. A entrada custou entre 15 e 18 francos. 2048 visitantes foram assistir as 13 melhores bandas da Suíça. Por causa das condições climáticas não tão favoráveis, no domingo, o festival teve de ser encerrado mais cedo.

As bandas que se apresentaram foram Plamp, Twelve Oaks, Im Bode Bänd, Country Ramblers, Krokus, Tea, Toni Vescoli e Alexis Korner, Shivananda, Roy Bailey, Black Cat Boné Blues Band, Westward, Infra Steff e Soul Set.

A 22ª edição do OpenAir, realizada em 1998, teve como lema “True Love” (Verdadeiro amor) . O Skank participou ao lado de Ozzy Osbourne, Beastie Boys , Black Sabbath, Garbage e Foo Fighters.

Viña Del Mar (Chile, 1998)

O Festival Internacional da Canção de Viña del Mar é organizado anualmente desde 1959 durante o mês de fevereiro na cidade de Viña del Mar no Chile. É o maior e mais importante festival de música da América Latina.

Sua origem foi bastante modesta. Graças a iniciativa do diretor do Departamento de Turismo e Relações Públicas do município de Viña del Mar, Carlos Ansaldo, um grupo de músicos foi convocado para tocar em uma feira dos alunos da Escola de Belas Artes nos jardins da Quinta Vergara, atual local da festa. Com o sucesso dessa primeira versão, um anfiteatro foi construído ao ar livre e o festival estava criado. A melhor canção e o melhor intérprete são premiados com 25 e 5 mil dólares respectivamente.

Além disso, uma Gaivota de Prata é entregue aos melhores cantores e aos artistas mais aplaudidos pelo “Monstro”, apelido dado ao público do festival que é implacável na hora de vaiar os artistas que não foram de seu agrado.

Nesse festival já se apresentaram artistas como The Police e Franz Ferdinand. Em 1998, a 39º edição teve a apresentação do Skank.

Belmont Festival (Chile, 1997)

Em fevereiro de 1997, o Skank realizou uma pequena turnê pelo Chile. No evento batizado de Belmont Festival, a banda se apresentou nas cidades de Viña Del Mar e La Serena nos dias 08 e 09 de fevereiro, respectivamente, e teve a companhia da banda Los Tres, um dos mais respeitados e importantes grupos do rock chileno. No ano seguinte, o Skank volta a cidade de Viña Del Mar para apresentação única no Festival Internacional da Canção.

La Mercê (Espanha, 1997)

Segundo a lenda, na noite do dia 24 de setembro de 1218, a Virgem Maria apareceu simultaneamente ao rei Jaime I, a São Pedro Nolasc e a San Ramon de Penyafort. Aos três pediu que criassem uma ordem de monges dedicados a salvar cristãos encarcerados por sarracenos. Eram tempos de guerra religiosa.

Séculos mais tarde, em 1687, a população de Barcelona sofreu uma epidemia de grilos e se entregou nas mãos da Virgem Maria da Mercê. Com o fim da praga, o conselho da cidade nomeou-a padroeira de Barcelona Depois que o Papa Piu IX em 1868 finalmente reconheceu Virgem Maria de Mercê como padroeira da cidade, Barcelona começou a ter diversas celebrações em setembro.

Hoje em dia, La Mercê é uma festa que ocupa um grande número de espaços públicos com uma programação centrada na cultura mediterrânea. Em menos de uma semana, Barcelona reúne uma programação diversa com arte de rua, desfiles pela cidade, shows e bailes tradicionais.

Em 1997, o Skank não ficou de fora da festa e se apresentou junto com a cantora Rosá rio no Palau de São Jorge.

Midem (França, 1997)

Desde 1966, o MIDEM é o principal ponto de encontro dos representantes da indústria fonográfica. Acontece todo ano em Cannes, no sul da França, no final de Janeiro e é um lugar onde grande parte dos contatos e negociações são feitos, contratos assinados e o futuro de milhares de músicos decidido.

Em 1997, o Skank participou do evento que aconteceu entre os dias 19 e 23 de Janeiro. Nessa 31ª edição, cerca de 11.000 pessoas de 3.395 companhias e organizações participaram. No total, 85 países estavam presentes. 52 shows com diferentes temas como Reggae, Rocks Cannes, Japanese Night, The Best Of British, Euromix, Nashville, Songwriters Association, Euro Dance Party, entre outros, foram apresentados.

Além das apresentações, a semana também estava recheada com várias conferências e seminários de temas diversos como “Clearing Multimedia Rights”, “How Useful Are Pluggers?”, “A Digital Update”, “Business From The Underground” e uma das mais interessantes, “Music on-line, A Revolution Beyond The Desk” que discutiu a questão do download de arquivos musicais com qualidade de CD através da Internet.

A presença de uma banda ou artista no MIDEM é como um selo de qualidade para os representantes da indústria fonográfica.

Super Bock Super Rock (Portugal, 1997)

O Festival Super Bock Super Rock foi criado em 1995 e teve grande impacto no panorama musical português. Neste primeiro ano, o festival durou dois dias e teve grande apoio do público. O local escolhido foi a Gare Marítima de Alcântara. A partir de 2004, o festival passou a ter 3 dias de duração e se mudou para o Parque do Tejo em Lisboa, junto à ponte Vasco da Gama.

O conceito subjacente ao Festival foi evoluindo, procurando ter uma conotação cada vez mais urbana e internacional, passando a ocorrer em recintos fechados e mais tarde expandindo-se a outras cidades: em 2002, a Coimbra e à cidade de Vigo, na Galiza; e, em 2003, a Madrid. Também as datas do evento foram alteradas, destacando-se dos demais festivais ao afastar-se da época de verão para uma estação do ano até então inédita para realização de festivais de música.

Em 1997, o Skank participou do festival no dia 5 de julho dividindo o palco com Apocalyptica, Echo and teh Bunnymen, Ani di Franco, Ramp e Blasted Mechanism.

Paleo Festival (Suíça, 1997)

A Paléo Arts and Spectacules é uma organização sem fins lucrativos fundada em 1974. Seu propósito é promover o desenvolvimento de atividades culturais, especialmente através da organização de shows e outros eventos. Sua principal atividade é a organização do Nyon Paléo Festival, o maior festival de música a céu aberto da Suíça desde a sua criação em 1976.

Todo final de Julho, o município de Nyon recebe mais de 200.000 espectadores. Na edição de 2007, 225.000 pessoas compareceram. As atrações do festival representam um equilíbrio entre estrelas consagradas e novos talentos.

Em 1997, o Skank participou dessa festa junto a nomes como Jamiroquai, Shaggy e Sinead O´Connor.

Pirineos Sur (Espanha, 1997)

Pirineos Sur é um festival que, desde 1992, é especializado nas chamadas músicas populares do mundo. Um evento nada dogmático que junta modernidade com tradição, tecnologia com etnografia e artistas consagrados com novos valores.

Acontece anualmente por volta da segunda quinzena do mês de Julho em Pirineo Aragonés na província de Huesca no norte da Espanha. Seu principal objetivo é servir de ponto de encontro para as distintas culturas do mundo e construir pontes de respeito mútuo através da música.

Desde 1994 o festival dedica uma semana a um tema concreto. Em 1997, o tema foi “La Lusofonia” e teve a presença do Skank entre outros artistas da língua portuguesa.