Telefone (Julio Barroso)

São três horas da manhã, você me liga
Pra falar coisas que só a gente entende
São três horas da manhã, você me chama
Com seu papo poesia me transcende

Oh meu amor
Isto é amor
É amor, é amor

Sua voz está tão longe ao telefone
Fale alto mesmo, grite, não se importe
Pra quem ama a distância não é lance
Nossa onda de amor não há quem corte

Pode ser de São Paulo a Nova York
Ou tão lindo flutuando em nosso Rio
Ou tão longe mambeando o mar Caribe
Nossa onda de amor não há quem corte

Você me liga, me altera, me acende
Nossa voz no telefone está tão longe
Falo alto, delirando, não se importe
Há um clik antes de eu dizer seu nome

Desligaram sem aviso, é um corte
Minha voz está perdida neste fone
Fica vibrando, tão sozinha, não se importe
Eu ainda estou pensando no seu nome
Essa onda de amor não há quem corte


Álbuns relacionados